A melhor forma de maximizar lucros é utilizar metodologias de manutenção que evitam desperdícios e reduzem custos operacionais. No entanto, essas soluções necessitam ser pensadas com cautela, e deve-se considerar também a organização de toda a estrutura industrial, além das necessidades individuais de cada empresa.

O conceito de Indústria 4.0 não é mais utopia e, pouco a pouco, vem sendo destaque para garantir maior vantagem competitiva em empresas de alta performance, integrando sistemas e reduzindo custos com automatização que interfere diretamente na manutenção, garantindo operação de qualidade e evitando paradas não programadas.

A automatização da manutenção é baseada em indicadores que mostram as condições em tempo real dos componentes. Assim, os reparos são realizados quando necessários, não com base em uma análise programada apenas em períodos definidos por indução.

Com isso, é possível reduzir paradas desnecessárias, identificar e eliminar falhas que podem não ser percebidas em uma programação baseada em tempo de uso, permitindo uma melhor gestão dos recursos de manutenção e trazendo qualidade para toda a vida útil do ativo.

Internet das Coisas (Internet of Things – IoT) é a tecnologia responsável por conectar diversos sistemas e máquinas, segundo a consultoria Gartner, até 2022, IoT será responsável por uma economia de até US$ 1 trilhão por ano, e uma de suas maiores utilizações é o uso para redução de custos com manutenção.

A implementação segura de soluções e sistema baseados em Internet of Things, depende de infraestrutura robusta e responsiva, que acompanhe a escalabilidade das cargas de trabalho ao mesmo tempo em que providencia segurança das informações em toda a mitigação dos dados.

Com o desafio de criar uma governança de dados responsiva, a parte analítica encontra um ambiente favorável para insights gerados através do uso de dados históricos e recentes, para delinear novos padrões dos ciclos de manutenção em conformidade com as situações reais de cada negócio.

A visibilidade proporcionada pela tecnologia faz com que a tomada de decisão seja algo mais natural e acordado dentro das reais necessidades de cada negócio, com o detalhamento minucioso sobre toda a dinâmica interna e externa das indústrias, fazendo com que a relação entre manutenção e produção seja uma situação orgânica, onde novas sugestões a partir do uso de dados pode otimizar diversos processos ao invés de acarretar em longos tempos de parada forçada.

Com o uso de IoT, a administração dos ativos se torna mais organizada e também funcional, através de um planejamento macro de diversos sistemas, baseado na prevenção e funcionalidade de cada ativo em sua função individual.

Na prática, é possível perceber nas empresas o alinhamento sobre as noções estratégicas e a realidade de produção, pois o negócio passa a ser conduzido apenas com o uso de dados reais e de qualidade, que garantem informações confiáveis para sugestões de novas possibilidades.

 

 


Comments: 0

There are not comments on this post yet. Be the first one!

Leave a comment