Desde a primeira revolução industrial, a quantidade de processos encarregados as pessoas têm diminuído. Antes do século XIX, uma única pessoa poderia ser responsável pela fabricação completa de determinado produto, isso ocasionava em diferença dos objetos com difusão nos processos, e consequentemente, diferença nos produtos finais.

Conforme os processos foram mudando com o auxílio dos maquinários inseridos, a produção recebeu um auxilio que setorizou a atividade humana, para que, invés de um único funcionário para cada processo total, houvesse a divisão de habilidades, com um cronograma de montagem que começa a passar por vários profissionais, desde a matéria-prima.

O advento da tecnologia vem cada vez mais aprimorando os processos, com tarefas repetitivas passando a serem realizadas de modo automatizado, com mais qualidade nos processos, em sistemas baseados na otimização de casa situação, sem que, no entanto, a qualidade fique prejudicada, de modo a promover ainda mais a eficiência operacional.

Atualmente, a transição do manual para o tecnológico surge com a necessidade de maior rapidez nos processos, com controle de qualidade de acordo com as normas e também, com o que cada cliente espera receber.

Para tal, é importante buscar por soluções que consigam analisar o negócio de modo macro, para diminuir com eficiência processos repetitivos ou que possam comprometer em algum momento o resultado desejado, por consequência, este controle gera mais confiabilidade nos processos e redução de custos, sem que interfira no aumento do quadro de funcionários.

Algumas tecnologias se apresentam como soluções para o monitoramento constante das Indústrias. Iot (Internet of Things) permite a conexão entre os equipamentos, enquanto ML (Machine Learning) permite conhecer mais de cada objeto, para atuar em cima da qualidade, frequência e condições dos ativos, tanto para controle de produção, como também para melhorias em diversas situações.

Estas tecnologias permitem o controle real e integral sobre todos os insumos e ativos, com visualização frequente e online sobre pontos diversos, monitorando desde situações de conflitos, parada de produção, histórico de manutenção programada e de emergência, além de outras condições diversas. Assim, a partir do monitoramento do chão de fábrica, as indústrias podem aumentar a qualidade de seus objetivos, e fazer da tomada de decisão, algo com mais potencial de retorno e assertividade.

O Monitoramento automatizado permite a centralização de controle, ao mesmo tempo em que as soluções possibilitam que cada departamento absorva as informações relevantes referentes as suas atividades, as personalidades tomadoras de decisões podem ter uma compreensão geral do negócio, aumentando a competitividade frente a concorrência, além de entregar para o consumo materiais previamente controlados, pensados para atender todos os testes de qualidade e o idealizado pelo cliente.


Comments: 0

There are not comments on this post yet. Be the first one!

Leave a comment